Cinquenta propostas são apresentadas durante V Conferência Metropolitana da RMBH


Sociedade civil e poder público debateram desenvolvimento da Grande BH. Sistema de transporte multimodal, com integração tarifária, entra na pauta


Cinquenta propostas, entre mobilidade urbana, saneamento, participação social, planejamento e gestão territorial metropolitano foram elaboradas pela sociedade civil e o poder público durante a realização da V Conferência Metropolitana da RMBH, em Belo Horizonte, encerrada nessa quarta-feira (11/11).

As propostas visam o desenvolvimento dos 34 municípios que compõem a Grande BH e dos outros 16 que integram o Colar Metropolitano da capital.

Promovida pela Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (ARMBH), a conferência também elegeu os representantes do Conselho Deliberativo Metropolitano, que vão atuar pelos próximos dois anos no acompanhamento e avaliação das propostas a serem desenvolvidas pelo poder público.

“Terminamos a conferência com um sentimento maior do que o de dever cumprido, com um sentimento de que a gente cresceu. Crescemos no processo de discussão, nos relacionamentos e na consolidação deste sentimento de cidadania metropolitana, no fortalecimento de um grupo que vai continuar construindo soluções para a Região Metropolitana”, avalia a diretora-geral da Agência RMBH, Flávia Mourão.

A diretora destaca, ainda, a importância da participação popular na discussão de questões comuns a diferentes municípios, que podem, juntos, buscar a melhoria na qualidade de vida da população.

“É interessante ver as pessoas discutindo questões comuns. É muito mais fácil nos alinharmos em torno daquilo que nos une, com os interesses em comum”, diz. Para Flávia Mourão, o trabalho em Minas Gerais está no caminho certo. “Vamos ser a melhor região metropolitana do Brasil”, garante.

Participação popular

Eleito como membro permanente da sociedade civil no conselho deliberativo, José Abílio Belo Pereira defende a participação popular e a integração dos serviços na Região Metropolitana. Segundo ele, um colegiado com representantes de diversas áreas da sociedade civil auxilia o trabalho dos membros do conselho.

“A sociedade civil sempre foi muito bem representada. É muito importante ressaltar esse modelo, que é daqui de Minas Gerais e admirado pelo resto do Brasil”, diz. Ainda de acordo com José Abílio, é preciso “melhorar a capacidade de gestão pública e reorganizar o território metropolitano”.

Propostas

Entre as propostas elaboradas para a mobilidade urbana, por exemplo, estão a criação do sistema de transporte multimodal integrado – aproveitando a malha rodoviária existente para o transporte de passageiros – e a implantação do sistema de integração tarifária na RMBH.

Na área de saneamento básico, está a adoção da bacia hidrográfica como unidade de planejamento para as ações no âmbito metropolitano e a elaboração do plano estadual de saneamento.


Além das propostas temáticas, sugestões também foram apresentadas de forma regionalizada. Entre elas, se destacam a proteção das áreas degradadas e a criação ou revitalização das áreas logísticas.

Além das oficinas e palestras, a conferência contou também com stands que foram instalados próximos ao hall do Prédio Gerais, da Cidade Administrativa.  



Fonte: Agência Minas

Nenhum comentário: