quarta-feira, 3 de junho de 2015

Segurança alimentar é pauta de conferência em Ipatinga

A 2ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar reuniu técnicos, estudantes, representantes de entidades e membros do Conselho Municipal de Segurança Alimentar

Técnicos, estudantes, representantes de entidades e membros do Conselho Municipal de Segurança Alimentar Nutricional Sustentável (Consea) de Ipatinga se reuniram para a 2ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar Nutricional Sustentável, nesta terça-feira (2), na Prefeitura. O debate teve como tema “Comida de Verdade no Campo e na Cidade: por direitos e soberania alimentar”.

Sob orientação da 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, que acontecerá em dezembro próximo, a Conferência Municipal também teve o objetivo de ampliar os compromissos políticos para a promoção da soberania alimentar, garantindo o direito humano à alimentação adequada e saudável e a participação social. 

BANCO DE ALIMENTOS
Segundo o diretor da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedese) Regional de Timóteo, Carlos Vasconcelos, Ipatinga é o primeiro dos 50 municípios que compreendem a regional da Sedese a promover o debate sobre segurança alimentar. 

“A Administração Municipal tem trabalhado para combater a fome e o desperdício de alimentos em Ipatinga. Entre as principais estratégias do município está o Banco de Alimentos, que processa alimentos perecíveis e beneficia 20 entidades e 37 famílias”, informou a secretária de Assistência Social de Ipatinga, Edilene Costa Roque.
O representante do Conselho Estadual Segurança Alimentar, José Francisco Garcia, e a presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar Nutricional e Sustentável, Viviane Cordeiro, também participaram da Conferência. 

COMIDA DE VERDADE
“O acesso ao alimento é um direito de todos. Alimentos saudáveis, sem conservantes ou que não tenham passado por processos industriais e que podem ser consumido por todos. Isso é comida de verdade”, defendeu a professora universitária e referência técnica do Núcleo de Apoio da Saúde da Família (NASF), Naiara Sousa. 

Segundo a nutricionista, a fome, a obesidade e o desperdício são os pilares da insegurança alimentar. “E o desperdício é o mais alarmente. Cerca de 35 quilos de frutas, verduras e legumes são consumidos por ano por uma pessoa no Brasil. Em contrapartida, 37 quilos desses mesmos alimentos são desperdiçados anualmente”, declarou Naiara, que encerrou a palestra detalhando as estratégias do município no combate à fome, à obesidade e ao desperdício.




Fonte: Prefeitura de Ipatinga

Nenhum comentário: