quinta-feira, 11 de outubro de 2012


Brasileiro tem dieta que ameaça o coração

Pesquisa do Ibope revela que 76% deles ignoram frutas e legumes


Foto: Divulgação



A saúde do coração do brasileiro está ameaçada. Isso porque, independentemente de classes sociais, eles negligenciam frutas e legumes da dieta e, com isso, colocam em risco a saúde cardíaca, revela pesquisa feita pelo Ibope, a pedido de uma indústria farmacêutica, divulgada ontem.

O estudo ouviu 2.002 pessoas de todas as regiões e Estados econômicos. Os dados apontam que, em geral, 76% dos brasileiros não comem a quantidade mínima de seis porções de alimentos in natura – preconizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o que aumenta a carga nociva ao sistema cardiovascular.

“O problema também atinge gravemente o capixaba, já que a sua alimentação do dia a dia é muito ruim. A nossa preocupação principal é com a ingestão de sal, sendo que o ideal é que sejam consumidos de quatro a cinco gramas de sal por dia. E a população tem consumido uma média 12g por dia. E isso causa impacto e gera hipertensão arterial”, explica o cardiologista da Unimed, José Aid Soares.

O médico ressalta que a ingestão de fibras pelos capixabas, como legumes, frutas e hortaliças, também é muito abaixo do que o recomendado. “As pessoas estão se alimentando com rapidez e à base de  fast food, com comidas com alto teor de gordura e sal”, diz.

A má alimentação traz consequências drásticas com impactos principalmente para o coração, aumento da taxa de colesterol e do peso, além de diabetes. “A dieta inadequada também pode gerar câncer no intestino, além de aumentar o risco de infarto do miocárdio e derrame cerebral”, afirma o cardiologista.

Fumantes

O mesmo levantamento indicou que 22% dos participantes da pesquisa são fumantes. Entre eles, a dieta inadequada é ainda mais presente e chega a 81% dos entrevistados, cinco pontos percentuais a mais do que os não tabagistas. A explicação é de que a população já sabe quais são os hábitos de risco, mas ainda não conseguiu reverter a informação na prática.

Prova disso é que, apesar de sete em cada dez entrevistados não terem alimentação adequada, 87% dizem que se preocupam com o coração e estão dispostos a alterar a alimentação.
“É preciso que a população mude os hábitos, caso contrário, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, em 2025 o Brasil será campeão mundial de mortalidade por doenças cardiovasculares”, ressalta José Aid Soares.

Fonte: A Gazeta


Nenhum comentário: