quarta-feira, 2 de abril de 2014

Prêmio seleciona trabalhos sobre mulheres e agroecologia



Aos 58 anos de idade, a mineira Sara Deolinda Pimenta sempre esteve envolvida com a luta das mulheres rurais. Em sua dissertação de mestrado, por exemplo, há quase dez anos, ela elaborou uma pesquisa ativa de campo sobre a luta de posseiros por terras no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais. O trabalho rendeu a Sara o primeiro lugar, em 2005, na categoria Mestrado, no Prêmio Margarida Alves de Estudos Rurais e Gêneros, que chega à sua 4ª edição em 2014. 

O prêmio é uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), que, neste ano, vai selecionar e publicar os 15 melhores trabalhos com o tema Mulheres e Agroecologia, em três categorias: Ensaio Inédito, Relatos de Experiências e Memórias. 

As inscrições começaram no dia 1º de abril e seguem até 30 de agosto, em âmbito nacional. Para participar, os interessados devem acessar o site de um dos organizadores do evento, preencher o formulário e enviar o texto de acordo com o edital, também disponível nos sites. Em 2014, o prêmio será de R$ 3 mil para os vencedores de cada categoria, além da publicação impressa em coletânea e certificado. A previsão é que os resultados sejam divulgados em dezembro deste ano. 

Podem participar do prêmio pesquisadores ligados a qualquer área do conhecimento (graduação e pós-graduação); representantes de redes, entidades ou organizações não governamentais com experiência em assistência técnica e extensão rural (Ater) para mulheres; e trabalhadoras rurais e lideranças em comunidades. Cada autor poderá concorrer com apenas um trabalho. Informações: premiomargaridaalves@mda.gov.br
ou (61) 2020-0845.

Fonte: Ascom/MDA

Nenhum comentário: